A sacralidade do teto de gastos da autocracia burguesa e a Manaus sem teto, pão e sepultura

Foto: Enterro no cemitério Nossa Senhora Nossa Senhora de Aparecida, no Tarumã, nesta sexta-feira, dia 8. (Rosiene Carvalho)

*Por José Alcimar

          01. O canto épico (prefiro esta classificação à de poema dramático) de João Cabral de Melo Neto nos dá a medida da vida severina dos empobrecidos dessa terra, de Álvares Cabral a Cabral Filho. Por que garantir aos mortos a terra que em vida já lhes foi expropriada? ...  Ver mais

Continue lendo