Sobre escrever em tempos de retrocesso do pensamento

José Alcimar de Oliveira*

Escrever é sangrar. Sempre, desde a Bíblia. Se não sangra, é escrever? (João Antônio, 1937-1996).  

                01. O ato de escrever pode ser comparado ao paciente trabalho do artesão, do tecelão, do escultor.  Os conceitos são a matéria de quem escreve. Escrever implica artesania, tecer ideias, esculpir conceitos, domar palavras, conferir organicidade às ideias. A escrita disciplina a fala.  ...  Ver mais

Continue lendo

Paulo freire, educador do oprimido como classe

 José Alcimar de Oliveira *

O otimismo, em sua essência, não é um ponto de vista sobre a situação presente, mas uma força vital, uma força da esperança onde outros resignam, uma força para manter a cabeça erguida quando tudo parece falhar, uma força para aguentar reveses, uma força que jamais cede o futuro ao adversário, mas o reclama para si. Certamente existe também um otimismo covarde, tolo, que deve ser rejeitado. Mas ninguém deve colocar sob suspeição o otimismo como vontade voltada para o futuro, mesmo que ele erre centenas de vezes (Dietrich Bonhoeffer, 1906-1945, pastor protestante executado a mando de Hitler no dia 09 de abril de 1945). ...  Ver mais

Continue lendo

Omar afirma que Arthur é oportunista e hipócrita e cobra dele solidariedade à família de Flávio Rodrigues

O senador e presidente da CPI da Covid-19, Omar Aziz (PSD), afirmou que o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto (PSDB) cumpre no Amazonas papel favorável ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) ao afirmar que o tucano o ataca. Omar chamou Virgílio de “oportunista” e citou as condolências que ele prestou ao cantor Roberto Carlos sobre a perda do filho ao mesmo tempo que ignorou a prestação de solidariedade à mãe do engenheiro Flávio Rodrigues. ...  Ver mais

Continue lendo

Brasil da regressão política rumo a um estado-pária: notas filosóficas

José Alcimar de Oliveira *

Assim, a filosofia se vê rodeada de inimigos, a maioria dos quais não tem consciência dessa condição. A autocomplacência burguesa, os convencionalismos, o hábito de considerar o bem-estar material como razão suficiente de vida, o hábito de só apreciar a ciência em função de sua utilidade técnica, o ilimitado desejo de poder, a bonomia dos políticos, o fanatismo das ideologias, a aspiração a um nome literário – tudo isso proclama a antifilosofia. E os homens não o percebem porque não se dão conta do que estão fazendo. E permanecem inconscientes de que a antifilosofia é uma filosofia, embora pervertida, que, se aprofundada, engendraria sua própria aniquilação (Karl Jaspers, 1883-1969).    ...  Ver mais

Continue lendo