Caso Flávio: MP-AM designa promotor e CMM “convida” prefeitura para prestar esclarecimentos

Foto: Flávio Rodrigues - redes sociais

O MP-AM (Ministério Público do Estado do Amazonas) e a CMM (Câmara Municipal de Manaus) adotaram medidas em relação ao caso Flávio Rodrigues, cujo crime de homicídio é investigado pela Polícia Civil.

A procuradora-geral de Justiça, Leda Mara Nascimento Albuquerque, designou, por meio de portaria assinada na tarde desta segunda-feira, dia 7, o promotor titular da 16ª Promotoria da Capital e da 2ª Vara do Tribunal do Juri, Igor Starling Peixoto, para atuar dedicado ao acompanhamento do caso.

De acordo com informações prestadas pela assessoria de comunicação do MP-AM, Igor Starling vai “acompanhar os procedimentos policiais junto à DEHS (Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros)”.

A CMM distribuiu, por meio de sua assessoria de comunicação, matéria informando a respeito de um convite feito à Prefeitura de Manaus para que um representante do poder executivo municipal compareça à casa legislativa e prestes esclarecimentos.

A CMM indica que a prefeitura irá informar sobre como conduz “as acusações de uso indevido da máquina pública, feitas por meio de notícias veiculadas na mídia local, no caso que gerou o homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues”.

A CMM informa, ainda, na matéria, que o convite foi oficializado nesta terça-feira, dia 8, e que a reunião com representantes da prefeitura está programada para as 10h desta quarta-feira (9), no plenário Adriano Jorge, da Casa.

O presidente da CMM, vereador Joelson Silva (PSDB), justifica que o convite tem o “intuito de informar à população sobre as providencias tomadas diante das denuncias que apontam suposto uso indevido da estrutura pública do município no caso”.

E antes mesmo que a prefeitura se pronuncie, o presidente da Câmara anuncia, no material divulgado pela CMM, que é preciso “por um basta na guerra de contra informação promovida com intuito meramente eleitoreiro”.

“Eu não procuro ficar na mira dos holofotes, isso não me interessa. Tenho compromisso e comprometimento com esta Casa e com a sociedade, assim como cada um dos vereadores que hoje se indignam com acusações levianas, que tentam denegrir a imagem deste Poder”, afirmou Joelson Silva.

Caso Flávio Rodrigues

Flávio foi encontrado morto num terreno no bairro Tarumã, com marca de seis facadas na costas, perna e barriga, horas após se reunir no domingo, dia 29, com outros homens na casa do enteado do prefeito de Manaus, Alejandro Valeiko. A casa de Alejandro foi o último local que Flávio foi visto vivo antes do homicídio.

O desembargador José Hamilton Saraiva dos Santos afirmou, na decisão que determinou prisão temporária de 30 dias para Valeiko nesta segunda-feira, dia 7, que “fatos concretos evidenciam” participação dele no assassinato do engenheiro.

A polícia também pediu prisão temporária de Vittorio Del Gato (cuidador de Alejandro), Elizeu da Paz Souza (policial lotado na Casa Militar), Mayc Vinícius Teixeira Parede (amigo do policial), José Evandro Martins de Souza Júnior e Elielton Magno de Menezes Gomes Júnior. Os dois últimos estavam na casa de Alejandro, no dia do homicídio.

Elizeu da Paz foi considerado pelo delegado do 19º Dip (Distrito Integrado de Polícia), Aldeney Goes Alves, que iniciou as investigações e fez os pedidos de prisão, como suspeito de “autoria ou participação” no homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues e que pode ter usado veículo do executivo municipal no crime.

Elizeu é policial militar lotado na Casa Militar da Prefeitura de Manaus e informou, em depoimento à polícia, que a função dele era garantir a segurança do enteado do prefeito. A defesa de Elizeu nega a acusação. A prefeitura até agora não se manifestou sobre as informações.

Foto: Flávio Rodrigues – redes sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *