Felix Valois e Diego Gonçalves reforçam defesa de enteado de Arthur Neto

Foto: Diego Gonçalves e Felix Valois. Dilvulgação

Os advogados Felix Valois e Diego Gonçalves foram contratados para integrar a defesa do enteado do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), Alejandro Valeiko, 29, no caso em que ele é considerado pela Polícia Civil suspeito no homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues.

“Estamos nos inteirando sobre o assunto para atuar na defesa de Alejandro”, declarou Diego Gonçalves ao confirmar o convite ao blog.

Os dois se juntam a outros dois famosos e dos mais caros escritórios de advogados do Estado, que já atuam no caso: de Marco Aurélio Choy, presidente da OAB-AM, e o de Yuri Dantas Barroso, que há anos advogada para o PSDB e Arthur Neto na justiça eleitoral.

Os escritórios de Choy e Yuri atuaram de forma conjunta na campanha de reeleição de Arthur Neto, em 2016. Embora muito respeitados no meio e considerados de confiança pelo prefeito, a atuação dos dois é mais destacada no campo do direito eleitoral.

Valois e Gonçalves tem vasta experiência na área criminal e se destacam na atuação de casos de relevo no Tribunal do Juri e na Justiça Federal. O escritório deles também é um dos mais caros do Estado.

Caso Flávio Rodrigues

Flávio foi encontrado morto num terreno no bairro Tarumã, com marca de seis facadas na costas, perna e barriga, horas após se reunir no domingo, dia 29, com outros homens na casa de Alejandro Valeiko. A casa de Alejandro foi o último local que Flávio foi visto vivo antes do homicídio.

O desembargador José Hamilton Saraiva dos Santos afirmou, na decisão que determinou prisão temporária de 30 dias para Valeiko nesta segunda-feira, dia 7, que “fatos concretos evidenciam” participação dele no assassinato do engenheiro.

A polícia também pediu prisão temporária de Vittorio Del Gato (cuidador de Alejandro), Elizeu da Paz Souza (policial lotado na Casa Militar), Mayc Vinícius Teixeira Parede (amigo do policial), José Evandro Martins de Souza Júnior e Elielton Magno de Menezes Gomes Júnior. Os dois últimos estavam na casa de Alejandro, no dia do homicídio.

Elizeu da Paz foi considerado pelo delegado do 19º Dip (Distrito Integrado de Polícia), Aldeney Goes Alves, que iniciou as investigações e fez os pedidos de prisão, como suspeito de “autoria ou participação” no homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues e que pode ter usado veículo do executivo municipal no crime.

Elizeu é policial militar lotado na Casa Militar da Prefeitura de Manaus. A defesa de Elizeu nega a acusação. A prefeitura até agora não se manifestou sobre as informações.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *