Juíza decreta prisão preventiva de enteado de Arthur Neto

A juíza Anagali Marcon decretou a prisão preventiva do enteado do prefeito de Manaus, Arthur Neto, Alejandro Valeiko.

A magistrada também decretou a prisão preventiva de Elizeu da Paz, o policial militar que atuava na segurança do prefeito, e do amigo dele e lutador de MMA, Mayc Parede.

Os três foram indiciados pelo homicídio e ocultação do cadáver do engenheiro Flávio Rodrigues. Elizeu e Mayc por atuação e Alejandro por homicídio por omissão. Ou seja, não atuou diretamente mas teria o dever de evitar.

O pedido de prisão preventiva foi feito para todos os indiciados no crime, incluindo a enteada de Arthur, Paola Valeiko, acusada de fraude processual por ter limpado sangue da casa do irmão antes da perícia.

A prisão preventiva de Paola não foi acatada.

A juíza indica na sentença que a prisão preventiva é necessária em função do “clamor público” que o Caso Flávio tomou e pelo risco de fuga, porque Alejandro se ausentou da cidade após o homicídio do engenheiro.

Flávio foi morto a facadas e o corpo dele encontrado numa estrada de barro no Tarumã após ter participado de uma festa na casa de Alejandro regada a bebidas alcoólicas e cocaína.

A investigação aponta que um carro da Prefeitura de Manaus foi usado no assassinato do engenheiro.

O MP-AM opinou ainda que Magno e Junior, que foram liberados, deveriam usar tornozeleira eletrônica, mas a juíza não acatou o pedido. Os dois não foram indiciados pela Polícia Civil no inquérito. O MP-AM também deve apresentar uma conclusão sobre a investigação, independente da feita pela Polícia Civil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *