Omar cobra fatura de Josué Neto, Amazonino Mendes e diz que “anda feito Geni”

Foto: Reprodução Rádio Mix YouTube

O senador Omar Aziz (PSD) cobrou fatura política do presidente da ALE-AM (Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas), Josué Neto (PSD), e do ex-governador do Amazonas, Amazonino Mendes (PDT), a respeito do apoio que deu a eles nas Eleições 2016 e Eleições 2017, respectivamente.

As declarações foram feitas em entrevista ao programa 18 horas da Rádio Mix, aos jornalistas Carlos Júnior, Cid Soares, Karime Leão e Paulo Castro.

Omar disse que apoiou Josué Neto quando ele estava passando por uma “humilhação” por ter sido preterido por Arthur Neto, nas Eleições 2016, com a alegação de que o atual vice-prefeito Marcos Rotta (MDB) era mais bonito que o presidente da ALE-AM. Já Amazonino, Omar disse que o “tirou da rede”e do “esquecimento” para colocá-lo para ser candidato ao governo.

“(Em 2016), tiramos o atual governador e colocamos o Josué para eu não deixar ele passar a humilhação que estava passando. Me coloquei no lugar daquele jovem, que é preterido. O Josué não tem o direito de dizer que teve asas cortadas”, declarou o senador sobre o presidente da ALE-AM.

A respeito do ex-governador Amazonino Mendes, Omar afirmou:

“O Amazonino, eu apoiei o Amazonino em 2017, tirei ele da rede e botei ele pra ser candidato. Porque foi eu que tirei o Amazonino da rede e coloquei para ser candidato a governador. Um cara esquecido. Trouxe ele de volta para a vida pública . Ele não tinha partido, chamei o presidente do partido, o Hissa, e pedi para ele dar o partido para o Amazonino ser candidato”, declarou.

O presidente da ALE-AM, Josué Neto (PSD), ao anunciar um ano antes que estava fora da disputa deu nome ao agente da sua desistência da pré-candidatura a prefeito de Manaus nas Eleições 2020: o senador e presidente estadual do PSD, Omar Aziz.

Evitando confrontos no discurso, na ocasião, Josué afirmou que Omar Aziz fez com ele o mesmo procedimento adotado com David Almeida (Avante), que não pode se candidatar em 2017 porque Omar não deixou.

Na ocasião, David acumulava a função de presidente da ALE-AM e de governador interino do Amazonas, mas era filiado ao PSD que rejeitou sua candidatura.

O presidente da ALE-AM afirmou ainda, no discurso, que precisava de um partido para chamar de seu em função da liberdade necessária a articular alianças.

“Vou dar uma aula”

Omar discordou, na entrevista à Rádio Mix, do ponto de vista de Josué e rebateu os argumentos do presidente da ALE-AM.

“Se você pegar historicamente e aí eu vou dar uma aula da história, porque o político que não conhece a História do Amazonas não pode ser político. Em 1982, o pai do Josué, Josué Filho, foi candidato pelo PDS numa convenção que ele ganhou do José Fernandes. Ele não era dono do partido e foi candidato ao governo. O pai dele. Em 1985, a primeira eleição municipal que teve pós-revolução, pós-golpe militar, foi Manoel Ribeiro o candidato. Foi candidato pelo MDB do Gilberto Mestrinho. Não era dono do partido e se elegeu prefeito”, declarou.

E prosseguiu, na aula:

“Em 1986, o Amazonino Mendes foi candidato a governador pelo MDB do Gilberto Mestrinho. Não era dono do MDB e foi candidato. Eu e o Alfredo. Ele a prefeito e eu a vice. Não éramos donos de partido e fomos candidatos”.

“Ele perderia o mandato. Sabe disso”

“Como eu ando feito Geni, é mais fácil jogar pedra no Omar”

Omar Aziz disse que não é possível acordo para questões relacionadas à infidelidade partidária e que, se deixasse o partido, Josué Neto perderia o mandato.

“Não tem acordo nas questões de fidelidade partidária. Ou é ou não é. Eu sou presidente do partido mas não sou dono do mandato de ninguém. O mandato não é meu. O mandato é da coligação. Eu posso até liberar o Josué, mas qualquer uma outra pessoa, o MP pode requerer o mandato dele. Ele perderia o mandato do mesmo jeito. Ele sabe disso. Mas, como eu ando feito Geni, é mais fácil jogar pedra no Omar do que assumir”, declarou.

“Meu partido terá candidato a prefeito”

O senador e presidente do PSD declarou, na entrevista, que o partido dele lançará candidato à Prefeitura de Manaus em 2020.

“O meu partido  vai ter candidato a prefeito. E o Josué é um ótimo nome. É um rapaz que tenho muito carinho e respeito. Mas a história desmente qualquer outro tipo de fato. Dizer que só se elege alguém aqui ou só se constrói uma candidatura, sendo dono de partido”, declarou.

Opinião: Omar tem mando de campo e não está marginalizado como a Geni

O senador Omar Aziz (PSD) saiu das Eleições 2018 com 8,07% dos votos válidos. Recebeu 142.804 votos, enquanto o nome que sufocou um ano antes recebeu 417.203 votos: David Almeida ficou em terceiro na disputa com uma composição política bem menor que a de Omar.

O partido do senador sequer conseguiu eleger a mulher dele, Nejmi Aziz, que recebeu 19.959 votos. A ex-primeira-dama é a primeira-suplente da legenda do PSD. Caso Josué Neto se desfiliasse da sigla sem justa causa, a vaga, sendo do partido, cairia no colo de Nejmi com todas as vantagens inerentes ao exercício de um mandato legislativo.

Mesmo sem força nas urnas e com nome desgastado a cada nova fase da Operação Maus Caminhos, que em suas últimas operações prendeu irmãos e a mulher do senador e o tornou alvo de busca e apreensão, Omar é uma das principais forças políticas do estado. E hoje é aliado de influência e importância no Governo Wilson Lima.

Nos últimos pleitos, passaram pela condução dele as definições e apoios políticos das principais candidaturas: Eleições 2012 de Arthur Virgílio Neto, Eleições 2014 de José Melo e Eleição Suplementar de 2017 de Amazonino Mendes.

Mais uma vez, em que pese a rejeição das urnas e o desgaste da Maus Caminhos, Omar dá mostra que não abre mão de articular as principais construções e desconstruções dos nomes que serão postos para escolha do eleitorado em Manaus.

Outro lado

A reportagem procurou as assessorias de comunicação de Josué Neto, Amazonino Mendes e Omar Aziz, que informaram que não iam se manifestar sobre os assuntos.

Veja o pronunciamento de Josué Neto:

https://www.instagram.com/tv/B4ezSVpg7Ok/?utm_source=ig_web_copy_link

Veja neste link a entrevista que Omar deu à Rádio Mix nesta quarta-feira, dia 13.

Foto: Reprodução Rádio Mix YouTube